terça-feira, 15 de novembro de 2011

(...)



As pessoas deveriam saber que "não são apenas nossas características, mas as escolhas que fazemos que nos tornam quem somos". O mal se engendra no pensamento, mas só se realiza no precipitar de um ato. Mais valor tem o mal que faz o bem do que o seu contrário. O mal que faz o bem nunca será um mal.


Resolveu terminar nosso monólogo?
Sim. Você sabe, eu não poderia admitir que era eu desde o início.

Foto: França, 2011.

2 comentários:

  1. Deveria partilhar isso das mais diversas maneiras. As pessoas precisam dessa luz.

    ResponderExcluir